Análise fashion: O figurino de Pantera Negra

Análise fashion: O figurino de Pantera Negra

Oi gente! Pantera Negra é um clássico da Marvel Studios porque enaltece de forma única a representatividade preta, na ancestralidade e principalmente em seu figurino impecável.

A figurinista possui um currículo respeitável, porque possui trinta anos de profissão, e já foi indicada ao Oscar por duas vezes, em Malcom X e Selma. Em 2019, o figurino de Pantera Negra ganhou o Oscar merecidamente.

Ruth Carter, figurinista de Pantera Negra

Para a produção do figurino de Pantera Negra, ela contou com a ajuda de 14 profissionais e muitas viagens no continente africano, e assim criou mais de 700 peças para o filme.

O figurino é inspirado em diferentes comunidades da Africa, porque misturam traços tradicionais das vestimentas africanas com um toque de futurismo. Dentre as referências, um destaque para Yves Saint Laurent.

Outro destaque são os tecidos, porque muitos vieram de Gana e outros de países como Mali, Quênia e Etiópia, mas muito deles foram desenvolvidos pela própria Ruth que queria que os atores e sentissem super heróis de verdade, e ao mesmo tempo tivessem mobilidade com as peças.

Destaque especial para as cores, porque cada personagem teve a sua palheta definida. T’Challa, o Rei de Wakanda, usa preto Já Okoye e seu grupo de guerreiras usam vermelho vibrante. Nakia, tons de verde.

A explicação para tamanho capricho é que as cores vermelho, preto e verde juntas fazem parte da bandeira Pan-Africana, símbolo de união entre todos os povos da Africa.

Todo o figurino foi feito em paralelo ao roteiro visual da designer de produção Hannah Beachler, porque ela foi responsável por criar os distritos e cultura de Wakanda.

O figurino dos personagens

O Pantera Negra

Começando pela roupa de T’Challa, traz triângulos em todo o seu figurino porque a forma geométrica é sagrada na Africa, fazendo do personagem muito mais que um super herói, mas um rei.

A cor preta foi escolhida pelo diretor do filme, porque o preto é a cor da realeza e por conta do nome do filme.

A peça foi produzida em um tecido italiano chamado Eurojersey, usado para confeccionar as roupas dos super heróis. O tecido é uma mescla de lycra com microfibra de poliamida. É elástica, não amassa e é lavável em qualquer máquina.

Nos detalhes da roupa de T’Challa, os traços imitam as veias que Ruth Carter fez questão de combinar com os triângulos, linhas e pontilhados da peça.

Outra curiosidade, é que Chadwick Boseman (nosso rei vai deixar saudades) usa por baixo do traje uma segunda peça de cor cinza, porque dá ao telespectador a impressão de ver o Vibranium (metal fictício de Wakanda) brilhando.

Por pertencer a uma família real, a figurinista pensou em composições singulares e com um toque de realeza, destaque para o bordado de suas túnicas porque são inspiradas em estampas nigerianas, e que todos os bordados foram inspirados por mais de uma cultura.

A roupa em preto com detalhes em roxo, possui símbolos da língua Nsibidi (sistema indígena com mais de 500 símbolos), e seu bordado foi escolhido com a ajuda do diretor do filme.

O Cachecol de T’Challa deu um ponto de cor as composições predominantemente pretas. O Kente é um tipo de tecido de seda e algodão confeccionado em tiras de pano mesclados. O mesmo é oriundo do povo Akan, de Gana

Rainha Ramonda

O Chapéu utilizado pela Rainha Ramonda, mãe do rei T’Challa, é inspirado em um tradicional chapéu Zulu, utilizado pelas mulheres no dia de seu casamento.

Com tamanho grande e formato original, a figurinista queria que a peça fosse a coroa da personagem no mesmo formato.

Tanto o chapéu como a manta usadas rainha foram impressas em 3D em um material chamado wearable plastic, um tipo de plástico que pode ser vestido. O chapéu original era muito pesado para ser usado durante as imagens.

W’Kabi

Meu figurino favorito porque faz uso de mantas que são inspiradas no povo de Lesotho, da África do Sul. Elas são fetas em Lã e são chamadas de mantas Basotho.

Esses mantos são usados para representar o seu rei, a colheita. As serigrafias em vibranium (metal fictício de Wakanda) lembram os símbolos Adinkra, que represntam conceitos e aforismos e são usados em tecidos e cerâmica entre os Ashantis e os Baoules, oriundos de Gana.

O intuito era que essas mantas pudessem ser usadas durante as batalhas com formato de escudo.

Nakia

Os trajes de Nakia foram inspirados na tribo do Rio, que é inspirada na tribo suri, na Etiópia. O estilo é marcado pelo uso de conchas, contas e folhas.

O vestido com profundas fendas laterais, foi feito com tecido estampado e confeccionado pela equipe com mobilidade porque a personagem precisava lutar em cena.

O vestido foi pintado a mão e também foi utilizado uma impressora 3D. A inspiração para a peça veio da tribo Surma, na Etiópia.

A estampa do vestido é inspirada na estampa Kente, (oriunda da tribo do povo Ashanti e Ewe no Gana) e confeccionada do mesmo tecido do traje do Rei T’Challa.

O tecido originalmente preto, foi pintado para ter um efeito ombrê (degradê), a tinta possuía tons metálicos e enquanto a personagem caminha o vestido fica iluminado em diferentes partes.

Erik Killmonger

O personagem é agraciado por duas referências para desenvolver seu personagem.

O que as distingue são o tamanho grande e os traços masculinos destacados na peça. Geralmente são usadas em rituais porque são feitas para contrastar com as com as dançarinas mulheres e seu traços femininos.

A segunda referência são as cicatrizes porque representam a morte de suas vítimas, incluindo seus irmãos. As mortes contribuíram para que sua personalidade fosse ainda mais obscura

As escariações são marcas de tradição africana, porque podem ser símbolos de status social ou de rituais de passagem.

Dora Milaje

As guerreiras da guarda real trazem em seus trajes, o vermelho e o dourado, em composições trabalhadas com contas na parte frontal, tais como as usadas pelas tribos Massai e Turkana.

Elementos como o couro fizeram parte do corpete que foi confeccionado na África do Sul para que pudessem ser feitos a mão.

Os colares dourados usados nas personagens, fazem parte dos adereços utilizados pelas mulheres da tribo Ndebele, da África do Sul.

Da tribo Himba, vem a pasta vermelha terrosa Otjize é feita com manteiga, gordura, ocre vermelho (tipo de argila), as vezes podem ser perfumadas com resina aromática.

As mulheres fazem uso da pasta na pele e nos cabelos para se diferenciar dos homens, se proteger do sol e se proteger dos insetos.

As Dora Milaje usam um colar de anéis que são inspirados nos colares Indzila da tribo Ndebele (localizada no Zimbábue e na África do Sul).

As mulheres dessa tribo usam esses colares nos pescoços, pernas e braços depois do casamento para não olharem para o lado ou fugirem de seus maridos.

Todos os colares usados no filme são feitos a mão. O de Okoye é dourado porque ela é a lider, e o das outras guerreiras segue na cor prata.

M’Baku

Os trajes do inimigo de T’Challa são feitos com pelos cinzas em aplicações pelos ombros e nos braços porque o personagem reside numa região fria. Foram usados alguns ímas magnéticos para que essa pelagem não saísse do lugar.

As peças usadas pelos integrantes da tribo tem referências do Povo Dogon, que fica em Mali, que é conhecido pelo povo das estrelas, que foram os primeiros astrônomos.

Outras inspirações também foram usadas, como as saias de palha com conchas para representar a riqueza do povo.

Shuri

A irmã caçula do rei de Wakanda tem composições mais jovens porque a ideia era acompanhar a personalidade fora da caixa da personagem.

Nos looks de Shuri, percebemos cores mais vibrantes, com um toque de sustentabilidade inspirado em Stella McCartney, e sobreposições trazendo a proteção e acolhimento.

A personagem usa maquiagem tribal, que é uma inspiração de múltiplas tribos africanas e os desenhos podem ter vários significados diferenciados, como amor, feminilidade e afins.

Zuri

Os mantos do xamã Zuri, são ornamentais e conhecidos pelo nome de Agbada. A peça de mangas amplas e comprimento alongado é usada em sua grande maioria por homens e mulheres da África Ocidental e no norte da África.

Há inspirações dos Tuaregues (localizados no Saara), detalhes nas mangas com amuletos pequenos de prata, e dos Turkanas (espalhados pelo norte da África).

O tabardo de miçangas é outro destaque porque a peça que sobrepõe a roupa, como usada por algumas Dora Milaje.

Yimbambe! Wakanda para sempre.
Beijos da blogueira 🙂

Fotos: Reprodução da Internet

11 comentários sobre “Análise fashion: O figurino de Pantera Negra

  1. Querida eu assisti o filme fiquei apaixonada por tudo, o figurinos lindos de mais! mulheres lindas homens muitos lindos, tudo ajudava eu gostar mais, que historia maravilhosa, assistiria mais vezes, parabéns querida pelo post, como sempre você arrasa, beijinhosssssssssss

  2. Eu achei o figurino dos personagens tão bonitos quando assistir ao filme, agora gostei mais ainda por saber que foram inspirados em várias culturas da África. Realmente o filme enaltece a representatividade preta.

  3. Oiee Julli! Um post repleto de criatividade e diversidade também. Mostrou os diferentes tipos e eu amei.
    Gosto muito dos mantos, das cores das roupas e das formas geométricas.
    Beijos!

  4. Não assisti o filme, mas dei uma olhada no Mangá no Desenho dos quadrinhos, com esses super-heróis, muito bom saber mais sobre o filme que as culturas da África se projetaram nesse filme, que casal lindo e elegante.

  5. É um dos melhores figurinos na minha opinião desses filmes todos que tenho visto, as roupas são maravilhosas, e não foi preciso apelar para a pele, dá pra fazer algo bonito mesmo com o corpo coberto, e minha nossa, olha só quanta elegância! Eu amei!

Post feito com muito carinho especialmente pra você, deixe o seu amor nos comentários!